Rock (finalmente) In Rio

A segunda noite do Rock in Rio foi a primeira que pôde ser chamada de rock. Antes da transmissão o Jornal Nacional mostrou os problemas de violência e logística enfrentado pelos loucos por música. Vale lembrar que a Globo é parceira do RIR, e teve cotas de patrocínio vendidas por ela. Nunca é bom falar algo que contribua negativamente com o evento que de certa forma se está patrocinando, mas soube separar editorial de comercial. Parabéns. Parabéns também para os organizadores, que souberam reagir com rapidez. O problema de violência do Rio de Janeiro é responsabilidade do governo, não dos organizadores. E com relação a questão dos ônibus primeira classe superlotados, é uma questão cultural de querer sempre levar vantagem.

Também finalmente Beto Lee pode comentar sem constrangimento. Imagino como deve ter sido difícil falar que o show da Katy Perry foi no mínimo razoável(ainda não me recuperei). Tô vendo o RIR pelo Multishow o que o pessoal está chamando no twitter de Rock In Casa.

NX Zero, pareciam um pouco nervosos, mas mandaram bem, não deve ser fácil enfrentar 100.000 pessoas que a princípio não estavam la para vê-los, mas eles souberam levar super profissionalmente, e como o Di falou, foi o melhor presente de 10 anos que poderiam receber.



Nunca tinha ouvido, mas gostei desse Stone Sour. Pesado e tecnicamente muito bom. Gostei mesmo, vou escutar mais depois.
Então veio o melhor: Capital Inicial. O que falar desses caras que são recordista de RIR (desde a segunda edição). Sou suspeito, pois pra mim eles estão entre as 5 melhores bandas nacionais de todos os tempos. Mas independente disso, fizeram um show de rock de verdade. Principalmente com o discurso do Dinho antes de tocar “que país é esse”….Ele mostrou para que serve o rock: contestar, mobilizar e mudar. Parabéns Dinho e cia. Vocês são duca!


Não tava afim de ouvir a patrulha da neve, e fui ver mais um episódio de Dexter (isso é o melhor do Rock in Casa). Quando voltei, pensei que o show do Coldplay tinha sido antecipado. Acho que era a penúltima música, sei lá. Cara, parecia música do marido da Gwyneth Paltrow. Juro, mesma tocada. E meu pai que insistia em dizer que as musicas do Iron Maiden eram todos iguais… Aqui as músicas de 2 bandas parecem iguais. Deve ser esse gênero. Enfim, não vou falar desses caras, pois não conheço o som deles.

E que showzaço do Red Hot Chilli Peppers, sou fã dos caras. Uma das melhores coisas que surgiu nos anos 80. Continuam mandando muito bem. A cara de psicopata do Anthony Kiedis é demais, Flea é um louco virtuose,e esse guitarrista novo (tá com a banda faz uns 2 anos) é bom pra cacete também. Clássicos e músicas do novo álbum. Ainda tiveram a generosidade de fazer um tributo ao filho da Cissa Guimarães, não precisava, mas foi bonito pacas!



Valeu a pena dormir na sala. Não quis acordar a patroa quando acabou o show. Como fiquei eletrizado com o show, acabei vendo mais dois episódios de Dexter.
Sobre a noite do metal…amanhã eu conto.

Rock In Rio – Pop In Rio

Prometi pra Sra Hummingbird, que não ia criticar o Rock in Rio. Realmente é difícil criticar um evento dessa magnitude e feito com muito tesão pelos seus organizadores… não tenho dúvidas. E mesmo as poucas falhas divulgadas durante o dia são absolutamente perdoáveis, pois controlar cem mil loucos por música não é fácil.

Mas chamar de Rock o que Claudia Leitte canta é muita sacanagem! Mesmo sendo um purista, até aceito que alguns outros gêneros possam ser chamados de rock. Mas axé não é rock. Axé é axé. E não há nada de errado nisso. Eu respeito quem faz e quem gosta…seja qual for o gênero. E respeito e admiro não só a beleza, como a voz, o talento e a performance da Claudia Leitte. Por isso, até o fim do show dela, iria atender ao pedido da minha querida esposa (fá de Claudia Leitte), e não fazer nenhum comentário sarcástico. Até porque falar mal dessa beldade fica difícil… tava vidrado no corpo dela.


Mas ai veio o pior. A tal de Katy Perry. Reconheci as músicas pois sou obrigado a escutá-las às  6h30 da manhã ao levar uma das minhas filhas pra escola. Vale registrar que sempre acordo de bom humor, mas quase o perco quando essa filha mexe no dial do rádio. Só não fico de mau humor porque minha filha é linda!

Voltemos à Katy que, como não é linda como a Claudia e nem como minha filha, eu vou descer a lenha. Ela tentava cantar e pular. Caraca, parecia um disco de vinil com a agulha suja! Se não sabe, faz como eu, não faz nada e se limita a falar mal…. Então, ela bem que podia se concentrar e parar de trocar de tanta roupa e tirar bonecos de dentro de uma caixa. E, veja bem, o problema não era da técnica de som, pois as backing vocals cantavam muito bem.

Ela só conseguiu ir até o final, pois sabia a letra inteira… mas só faltava não saber.

Vou dar uns dois conselhos pra moça e obviamente ela não irá saber que dei: ou canta ou pula. Mas se quiser mesmo continuar pulando… vá ter aulas com a Claudia. Ela sabe, as exuberantes pernas de Claudia são uma prova disso!

P.S. O melhor show do dia foi Titãs e Paralamas juntos… foi duca, com muitos clássicos de ambos… eles sim deveriam estar no horário nobre do RIR.

P.S.2 Infelizmente não aguentei ver o show do Elton John, mas me dizem que foi bem até o final quando começaram a gritar pela Rihanna – cara, isso não se faz com uma lenda com Sir Elton!

P.S.3 Também não vi o show da Rihanna, mas esse não dá pra lamentar.